Google, Vingança Pornô e Comedores

uma questão de machismo e vingança

Não faltam casos de mulheres que tiveram seus vídeos/fotos íntimos “vazados” na internet [1]. E aí, aquilo que deveria ser um entretenimento para o casal torna-se um problema grave. Primeiro, porque o machismo não tolera mulheres que gostam de sexo (é a velha sandice de sempre: mulher que gosta de sexo é vagabunda.)

O segundo problema esbarra na confiança que sem tem nas pessoas. Muitos desses vídeos são feitos com o intuito de satisfazer o parceiro que mais tarde não dará conta do pé na bunda e fará de tudo para prejudicar a antiga namorada. (Ou, às vezes o cara é só otário mesmo e gosta de mostrar pra todo mundo o quão “comedor” ele é. Coisa de homem inseguro.)

Agora, sinceramente? Aos meus olhos, o único problema desses vazamentos é, na maioria dos casos, serem feitos sem o consentimento da mulher. Fora isso, sério, já passou da hora de entendermos que todo mundo faz sexo, que muita gente gosta duma sacanagem! Ou você acha que chegamos até aqui só por conta da nossa vontade de perpetuar a espécie? Não! Não! Muita gente aí é produto de suruba que eu sei!

Enfim, o fato é que a coisa anda prejudicando a vida de muita gente. Em alguns casos, adolescentes resolveram dar fim às suas vidas tamanha a humilhação trazida por tais divulgações. Não faço a menor ideia da sensação. Sou homem e se divulgassem um video meu não daria em nada. Eu seria rotulado de comedor ou, na pior das hipóteses, uma chacotazinha, certamente ligada ao meu pênis. Mesmo assim, posso imaginar uma ponta do inferno que é para a vítima tolerar os comentários, a vida em casa e toda a exposição…

As grandes empresas no combate à Vingança Pornô

Os grandes sites e empresas da internet vêm tentando impedir o compartilhamento desse tipo de conteúdo. O Reddit alterou suas condições de uso no começo deste ano a fim de evitar e coibir a pratica da Vingança Pornô. O Twitter alterou algoritmos para reconhecimento de vídeos e imagens com o mesmo objetivo. E mais recentemente, o Google declarou oficialmente “guerra” ao compartilhamento de vídeos e fotos íntimas. Será criado um formulário o qual será disponibilizado às vítimas. Bastará a indicação de um endereço para que os sites sejam desindexados pelo motor de busca uma vez constatada a validade da denúncia.[2]

Um pouco de história

O uso de material erótico como vingança não é obra da Internet. Nos anos 1980, a revista masculina americana Hustler publicava fotos enviadas pelos leitores. Na maioria dos casos, as fotos vinham acompanhadas de detalhes a respeito da vítima, como: nome, fantasias sexuais, hobbies e até endereço[3],[4].

como abordar o assunto com adolescentes?

Não tenho filho. Mas se eu tivesse que dar algum conselho para os adolescentes sexualmente ativos a respeito desse assunto, seria:

Por favor, escondam o rosto.

Mesmo se seu namorado for um príncipe. Esconda a cara!

Referências e leituras futuras

  1. Adolescente comete suicídio após fotos íntimas divulgadas em redes sociais;
  2. Google déclare enfin la guerre au Revenge Porn (em francês);
  3. Página da Wikipédia sobre Revenge Porn (em inglês);
  4. Caso Wood v. Hustler, uma das mulheres a processar a revista por divulgar suas fotos (em inglês);
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s