Buracos I

Minha vida se resume aos buracos que carrego no peito
Uns são companheiros de longa data
De data tão longa
Que sequer sei responder quem veio primeiro
Se foi eu ou se foram eles

Outros foram deixados por outras pessoas
Que passaram por aqui meio passado e partiram com partes de mim

Alguns simplesmente desconheço suas razões
Não sei de onde vieram, por que estão aqui e nem se um dia vão embora

Às vezes tento tapar todos eles
Principalmente esses últimos que sempre vêm à tona numa terça-feira cinza
Ou mesmo quando tudo está tudo muito bem

Às vezes me afogo na busca de compreendê-los
E depois
De quase morrer sem ar nesse mar de interrogações
De quase naufragar nessa tempestade de incertezas
Só consigo concluir que
Esses buracos no meu peito
Sou eu
E que eu
Sou eles

Portanto, não posso cobri-los sem cobrir a mim mesmo
Não posso conhecer suas razões sem conhecer as minhas

– Rodrigo Ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s